.

facebook: clique aqui
danielgil@danielgil.com.br




.

D



Minha amiga, não chame o seu amigo
De “amigo”. Antes, dê-lhe uma facada
No abdômen e tire fora o seu umbigo
Mas “amigo” é palavra atormentada.

Um “não” certeiro, pronto! e mais nada
Ou de comparsa, cúmplice ou prefira
Chamar de transviado, pomba-gira
Mas nunca dessa música assombrada.

Os homens, minha amiga, têm o mal
De perturbar aquilo que é normal
E um dia se perturbam com o amor

E noutro com a palavra... Por favor
“Gosto muito de ti, eterno amigo!”
Nem que muito mereça o inimigo.

§

4 comentários:

Unknown disse...

Ótimo

Unknown disse...

Quero ser filiz

Angela marie disse...

Acho q é ao contrario kjkk

Unknown disse...

Primeiramente, parabéns pela obra!!

Peço sua ajuda para curtir minha poesia neste blog onde estou concorrendo.

https://eternizarte.org/blog/candida-flor?utm_campaign=5f21e1f57775f233faacfb06

Para me encontrar em outros lugares, amizade, partilhas meu instagram: @caroldazarte