.

facebook: clique aqui
danielgil@danielgil.com.br




.

J



Nem eram violetas de Verdi
Cindidas na manufatura
De Giorgio Germont
Nem violas d’amore e seus
Olhos vendados e
Fendas eivadas em armas
Flamejantes
Nem versavam a
Voz chilena, o folclore
Advertido
Ou menos se atinavam
Do asteroide 557, dependurado
Na cintura orbital
Nem eram, especialmente
As violetas no vaso
Invioláveis
Nunca se afunilaram
Nos limites do jardim. Eram
As violetas no chão
Ao pé dos passantes
Ouviam as rodas da rua
Nenhuma gaiola — pássaros
Pousados.

§

Nenhum comentário: